março 28, 2011

Todos temos um incógnito na vida


De forma breve posso assegurar que, o incógnito é aquele sujeito que quando menos se espera surge. Na realidade é um emplastro em versão up-grade.

“A que te referes em concreto?”, perguntam muito bem. Para ser mais explícita vou dar dois exemplos.

14 de Fevereiro. Noite romântica. Prepararam o prato preferido da vossa cara-metade. As velas estão acesas, as pétalas de rosa que espalharam pela banheira de hidromassagem ganharam cor, e, vocês lavaram os dentes. Tudo corre bem.
A vossa cara-metade adora, e quando estão a abrir a garrafa de Don Perignon… toca a campainha. Quem é? Exacto, um sujeito incógnito, mais conhecido por “amigo solteirão que não come nem deixa comer” vulgo “empata quecas”. Noite romântica dá lugar a um ménage a trois de choro pelas agruras vividas pelo “amigo solteirão que não come nem deixa comer” vulgo “empata quecas”.
O jantar já está frio, a banheira de hidromassagem vazia e o Don Perignon perdeu o gás. Então o “amigo solteirão que não come nem deixa comer” ou “empata quecas”, de súbito diz: «Oh… estraguei a vossa noite!». Em uníssono o casal responde: «Não… então… os amigos são para estas coisas». Sobretudo os incógnitos, acrescento eu, são mesmo para estas coisas. Riposta o “amigo solteirão que não come nem deixa comer” vulgo “empata quecas”: «Para vos compensar, que tal irmos ao bowling?». Ena… que excitação… uma competição entre os dois elementos do casal, só para averiguar quem acerta primeiro com a bola no “amigo solteirão que não come nem deixa comer” vulgo “empata quecas”. Uma noite em grande.


Se calhar ainda não me expliquei bem com este exemplo. Vamos ao segundo outro.


Voltemos à noite de 14 de Fevereiro (é uma noite que me inspira sem dúvida). Já sabem que não podem jantar em casa porque vai aparecer o “amigo solteirão que não come nem deixa comer” ou seja “empata quecas” decidem ir jantar fora. Restaurante com ambiente agradável, nada de comer muito que digestões pesadas atrapalham o exercício físico…
E tudo começa. Pedem o menu, a carta dos vinhos e enquanto aguardam a chegada do pedido vão roendo uns bocados de pão besuntados em gordura. O elemento feminino do casal, começa a sair da casca. Qual filme romanto-porno-erótico, ela descalça o sapatinho, e eleva o pé até essa mesma zona que vocês estão a pensar, localizada no elemento masculino do casal. Quem é que surge neste exacto momento? Exacto o empregado de mesa, que do local diametralmente oposto aquele em que o casal se encontra, diz aos gritos: «Pssst oh menina! Tão qué isso? Mas você pensa que está numa paticure ou quê? E o senhor se está com alguma micose e tem comichão vá um dermatologista! E já pensou que se ela não cortou as unhas isso pode infectar? E depois se infecta tem de cortar! E ainda deve ficar a falar fininho umas quantas semanas, isso se não gangrenar logo e cair, sempre pode guardar como recordação para os seus filhos, adoptivos óbvio. E a menina, faça lá o obséquio que calçar a soca que o seu chispe amanda um bedum que não se aguenta. Daqui a nada tenho a ASAE à perna.». Pior que um incógnito empata quecas, é um incógnito informado e com receio da ASAE que além de empatar as quecas dos próximos meses, faz o casal passar uma vergonha das antigas. Se houver ânimo que resista a um discurso como o deste incógnito empregado de mesa, é porque o casal se droga.

Agora fui mais explícita, creio serem dois belos exemplos de emplastros que falam (lá está pertencem a uma versão up-grade).
Acho que já entenderam a ideia. Agora, informados sobre o que é um incógnito, estão preparados para a vida.

março 23, 2011

Diálogo interno

- Fartei-me.
- De?
- Do que era.
- Temes a exaustão do que serás?
- Nunca.
- Porquê?
- Quando traço mal o meu trilho, deturpo o seu rumo.
- Então que fazes?
- Recolho-me. Afasto-me. Volto às bases.
- E…?
- Usando um renovado mapa mental, recomeço a jornada.
- Demasiado ermo…
- Podes contar contigo próprio sempre, essa é a norma. Se recorreres à excepção, conta um pouco com os outros.
- Aprecio esses a quem chamas “outros”.
- Por vezes o piso é falso. Nunca sabes quanto tempo perduram, nem porque permanecem.
- Intimidas-me… 
- Podes colorir a tua vida, mas se lhe juntas muitas cores… tens uma vida em branco… O prisma ensina-nos isso…
- É mau?
- É um risco.
- Devo evitá-lo?
- Deves absorvê-lo.
- Porque não posso ter todas as cores?
- É fundamental muita sapiência para na homogeneidade do policromático distinguir a heterogeneidade do monocromático. Recorda sempre isto.
- Que ganho com isso?
- Sê feliz por saber que não perdes nada.
- Quero arriscar!
- Faça-se!
- Não me vais impedir?
- Não… só mais uma coisa…
- Devo apontar?
- Sim, com o teu melhor traço mnésico. Serás bestial ou besta, e nesses ensejos em que das apoteóticas recepções cessas a auferir as cirúrgicas pedradas… voltas à base. Repensas, e renasces. És o arquitecto, engenheiro e empreiteiro de ti mesmo.
- Quem és?
- Fénix.
- És um mito! Não existes!
- E tu existes?

março 18, 2011

Anexo ao meu diário - #2


Arminho amanhecer com incompletos sentidos, adorna a mesa da desilusão. Dista, distante de desejos despojados, doridos das dispersões descoordenadas, desconcentrador de duvidas, distribuidora de dardos difíceis de digerir. Monossilabicamente chegam as manhãs, de heterocromatina concentrada, dissolvida no vinho e barrada no fresco pão, que parte os frágeis dentes do que se julga o mais forte. Migalhas invejosas humedecidas com o sumo do ciúme, 100% concentrado de ímpetos humanóides, origem animal. Iguaria servida no prato matizado a desconforto. Com o garfo bífido do desespero, e a faca, enguia esguia, da competição rasga o estorvo, engole o inalcançável, mágoa mecanicamente triturada, cuspida como saliva. Negando o visível. Cara corada com círculos concisos, conceptuais, catalíticos. Cobarde coração correndo contra construções compadecentes com carismáticos capítulos caóticos. Do copo cavo bebe a fúria de quem para trás fica com o sentimento de incompetência, impotência impertinente, reversível mas não apetecível. Com a água suja pela leviandade lava a fruta perversa e retira, delicadamente, as grainhas da mesquinhez, enlevado, morde-as proveitosamente, alimentando o negro extinguindo o níveo. Patriarca, mau mestre. Nesta mesa do desengano individual, o patriarca retrógrado, reducionista, não aceita a evolução da ninhada. O mestre é agora outro… outro que na mesa da desilusão se senta na cadeira dos horizontes ilimitados, o orgulho transbordante por uma ninhada que não é sua. Isso dói, mói. Machuca e humilha uma auto-imposta superioridade irreal, por ele proclamada e por nenhum outro aclamada. Frio, fútil, frigido fugaz, feio, figurante numa personagem principal que nunca foi sua, patriarca de ideias estanques na névoa raivosa. Ocos elogios são lançados pelas vocais patriarcais. Tretas sem sentido que diz só porque a situação o pede, mesmo quando o coração as nega. Até nas melhores e mais saudáveis famílias a competição exacerbada e a inveja inevitável, corrompe as frágeis ligações sedosamente podres. Quem não compreende nega, chama loucura. Quem compreende ri, comunica, vive. Outra manhã surgirá e com ela a minha estúpida credulidade.

Triste? Não, é apenas a minha realidade... tão simples como isso. Daqui a pouco, fumo a desilusão de mim mesma fundida com o ódio que me oferecem, seco divagações, tudo volta ao normal.

Dica de Edileusa à juventude feminina



Olá juventude!

Todas sabemos que os homens são uma complicação, e quanto mais eles dizem "não vamos complicar as coisas, ok?" é justamente quando eles as complicam, certo meninas?

E neste momento começamos a detectar uma série que incongruência entre o discurso deles e as atitudes. Deixem-nos franzir o sobrolho à vontade porque nós sabemos que isto é verdade!

Uma das frases favoritas dos homens é "preciso de arejar as ideias". Tal frase leva as mulheres optimistas a pensarem: "Olha... ele pensa!". E daqui pode surgir um enorme equivoco que descamba numa gigantesca desilusão futura. Por isso, meninas, atentem no que vos digo: quando um homem diz que apenas precisa de arejar as ideias ele apenas precisa de abrir as pernas para arejar o "cérebro". Como todas sabemos o sobreaquecimento da zona principal de qualquer máquina leva à sua inactividade/bloqueio.

março 17, 2011

O beijo


Tem mais sabor na memória o primeiro ou o último? O último é sempre lembrado com amargura ou saboreado insatisfação?

março 15, 2011

As desculpas do costume

Há um colega na minha turma que está constantemente a dar desculpas para as baldas. Por mim tudo bem,baixo,piolhoso,chato,quero que ele se foda.Se não for é um favor que me faz, mas começo a achar piada às desculpas.
  • Pensei que o prof. estava doente. (Se não estava,eu mesma fico com a presença dele!)
  • Ou trabalho ou estudo! Não consigo fazer as duas coisas ao mesmo tempo! (dois anos depois...)
  • A minha maior preocupação é acabar o curso,juro! (claro,de preferência sem distinção porque é timido.)
  • Vou fazer um evento no facebook e já te mando isso (Dia nacional do incompreendido!)
  • Já notaram que as férias são cada vez mais curtas? (a minha paciência virou anã)
  • Estava de luto,não pude vir. (Sim, o cérebro morreu e há uma luta constante com a preguiça.)
  • Sou supersticioso! (Ir às aulas em dias impares dá azar. )
  • Prefiro ser autodidacta! (Vai-te foder...)

março 14, 2011

Hoje autorizamos que nos insultem!


Momento muito importante neste blog hoje: podem insultar-nos! Vá corram! Digam o que não gostam, insultem mas alto. Vamos lá libertem as mágoas e alinhem o chakras! Ponham tudo cá para fora.

Caso queiram assinalar algo que gostem não se inibam, porque este post é para vós.

Mulher vs. Homem


A feiura de uma mulher é facilmente compensada pela inteligência com que escolhe a conta bancária com a qual se vai casar. A ignorância do homem mede-se pela facilidade com que acredita ser "o tal" da vida dessa mesma mulher.

março 13, 2011

As crónicas de Edileusa #1


Vivemos tempos de completa deterioração nos nossos valores. Uma vergonha um ultraje! O ser humano vê sistematicamente o seu código genético ser alterado e nada consegue fazer para mudar isto, somente minorar os danos.
Ainda sou do tempo que as mulheres nasciam com o gene dos seios fartos, actualmente nascem com uma conta poupança para implantarem silicone. Quantas catraias eu não vejo de olhos a brilhar porque queriam calçar de soutien o mesmo que eu. Pobres almas. Corta-me o espírito e constrange-me os peitos sentir a tristeza das pequenas. Uma perguntou-me certa vez “Dona Edileusa não faz mal às costas todo esse peso?”, com sapiência respondi “Oh minha querida um 44 biqueira larga, como o meu, dá sempre jeito sobretudo no casamento!”. E porquê? Porque no meu casamento é sempre o Agostinho quem tem dores de cabeça. Quando fazemos o amor, confesso que me entusiasmo e quando sei já uma mama lhe acertou em cheio e lá ficou o Agostinho desmaiado.

A culpa deste recurso massivo aos implantes de silicone é das farinhas que dão às catraias na infância, coitadinhas, depois as moças ficam todas parecidas com os pais: tábuas de passar a ferro. São as farinhas e os cereais com açúcar em excesso que dizimam o gene dos seios fartos!

Alguém com estudos que faça algo pelas mulheres, porque as novas gerações nascem com o mesmo direito a usar decote que as anteriores gerações! Além do mais imaginem só o incómodo que é quando uma mulher implantada morre...

a) Enterrada num caixão como manda a tradição – Os organismos decompositores entram em acção e vão alimentar-se do silicone. Os mais sensíveis, coitados, morrem os mais robustos podem sobreviver, mas com que qualidade de vida? E se esses sobreviventes durante a quimiossíntese em pleno solo começam a afectar os nossos alimentos? Já se imaginaram a comer um cozido à portuguesa com a batata a saber a silicone?

b) Cremada como manda a moda – O cheirete que deve ser para quem está à espera que a defunta vá para o vasinho a plástico queimado? E os gases emitidos para a atmosfera?

c) As implicações dos implantes no divino (salvo seja) - Um alma chega ao céu munida de implantes de silicone nos seios. Partindo do principio que a reencarnação existe, então a morte é só a devolução de um produto com defeito. Ora, Deus (façam todos o sinal da cruz, mostrem respeito), como fabricante está no seu pleno direito de se recusar aceitar um produto modificado por um agente não autorizado, certo? Porque motivo quando compram um computador recebem sempre o aviso de caso ocorram problemas ir somente a um técnico da marca? Porque se forem a outro que não o da marca a garantia perde imediatamente a validade. O mesmo pode ocorrer com aceitação da alma humana pela parte de Deus!

Para quando o valor da mama biológica verdadeiramente reconhecido?

Regras de socialização - #1

março 12, 2011

McWedding

Tu sabes que a tua namorada te ama verdadeiramente quando a pedes em casamento,decides fazer a festa no MacDonalds e ela aceita!
A cadeia de restaurantes McDonalds na China estreou um novo serviço:o McWedding!
Por pouco mais de 1000 euros a festa está paga com direito a várias regalias e um ataque cardíaco incluído.
Infelizmente não se servem muitas bebidas alcoólicas e ainda não há o McDivorcio,o McFuneral nem reuniões de MacTupperware.

março 11, 2011

Inglês - Nível 5

Learn how to do it right!

I AM LOOKING THE THING BAD STOPPED - Estou a ver a coisa mal parada
I DO NOT SEE THE POINT OF A HORN - Não vejo a ponta de um corno
LOWER THE STONE - Arrear o calhau
CHANGE THE WATER TO THE OLIVES - Mudar a água às azeitonas
THAT STAYS IN JUDAS'S ASS - Isso fica no cú de Judas
IF YOU DON'T DOOR'S WELL, YOU ARE HERE YOU ARE EATING - Se não te portas bem, tás aqui tás a comer
PUT YOURSELF IN THE EYE OF THE STREET - Põe-te no olho da rua
I'LL MAKE YOU INTO A EIGHT - Faço-te num oito
PUT YOURSELF AT STICK - Põe-te a pau
UNSTOP ME THE STORE - Desampara-me a loja
GIVE WIND TO THE SHOES AND PLIT YOURSELF - Dá corda aos sapatos e pira-te
PUT YOURSELF AT MILES - Põe-te a milhas
EASE THE GUTS - Aliviar a tripa
PUT YOURSELF IN THE "LITTLE FEMALE GARLICK" - Põe-te na alheta
WALKING AT THE SPIDERS - Andar às aranhas
WATCH PASSING SHIPS - Ver passar navios
GIVE IN THE VIEWS - Dar nas vistas
SON OF THE MOTHER - Filho-da-mãe
DAY OF THEY ARE NEVER IN THE AFTERNOON - Dia de S. Nunca à Tarde
YOU'LL CATCH IN THE NOSE - Vais apanhar no nariz
YO, SHOVE - Oh, pá
BAD, BAD MARY - Mau, mau Maria
AS GOOD AS CORN - Boa como ó milho
GO COMB MONKEYS - Vai pentear macacos
YOU ARE NOT A MAN, YOU ARE NOTHING - Não és homem, não és nada
I'D JUMP INTO HER SPINE - Saltava-lhe para a espinha
EVEN THE TOMATOES FELL INTO THE GROUND - Até os tomates caíram ao chão
YOU ARE ARMING AT FACESTICK OF RACE - Estás armado em carapau de corrida
KABOND MUSIC (IF THEY WANT A HUG OR A KISS, WE KABOND, WE KABOND) - Música pimba (se elas querem um abraço ou um beijinho, nós pimba, nós pimba)
FACE OF ASS - Cara de cú
TAKE MONKEYS OF THE NOSE - Tirar macacos do nariz
GO GIVE BATH TO THE DOG - Vai dar banho ao cão
I AM DONE TO THE STEAK - Estou feito ao bife
I AM SAND-PAPERED - Estou lixado
SMART AS A GARLICK - Esperto como um alho
THROW A MOUTH - Mandar uma boca
GROW WATER IN THE MOUTH - Crescer água na boca
DEDICATE YOURSELF TO FISHING - Dedica-te à pesca
TO BE IN THE JAM - Estar na marmelada
PUT YOURSELF WALKING - Põe-te a andar
EYES OF LAMB BAD DEAD - Olhos de carneiro mal morto
CRACK THE PEACH TREE - Esgalhar o pessegueiro
A GIRL ALL PEALED - Uma miúda toda descarada
EAT A MULE - Comer uma mula
LOOKS LIKE AM OX LOOKING AT THE PALACE - Parece um boi a olhar para um palácio
SWITCH-PAINTS - Troca-tintas
TO BE IN THE PAINTS - Estar nas tintas
SPREAD-ASHES - Espalha-brasas
PASS BY THE ASHES - Passar pelas brasas
TAKE WATER IN THE BEAK - Levar água no bico
WHICH WHAT WHICH CAP - Qual quê qual carapuça
THINGS OF THE ARCH OF THE OLD WOMAN - Coisas do arco da velha
IT NEEDS TO HAVE CAN - É preciso ter lata
TALK CHEAP - Fala-barato
THERE IS WHO HAS CAN FOR ALL - Há quem tenha lata para tudo
TILL THE EYE - Até à vista

Cedido pela Edileusa à força

março 10, 2011

Vai-te lixar!

Já todo o mundo sabe que os feios sofrem. Primeiro porque são feios, segundo porque são feios e são gozados na infância, em terceiro porque alguns apreciam fazer disso um drama para justificar certas figuras patéticas.

Vamos a colocar os pontinhos na vogal certa: cada nasce com a cara que os paizinhos lhe deram para quê ser aldrabão? Pergunto isto porque no passado fim-se-semana um tipo, digamos, feio que eu já conhecia há algum tempo veio dizer-me que foi prostituto. Lamento pelo possível preconceito existente na pergunta, mas o meu primeiro impulso foi perguntar se se tinha prostituído para homens... Muito indignado negou, tinha sido prostituto mas sempre ao serviço das mulheres e todas elas "ricaças". Hum... Sei... 'Tou ligada.... "E deixaste o negócio há quanto tempo?", questionei. "Um ano", respondeu. Ah tá... Há um ano já eu te conhecia e eras assim feio, baixo e barrigudo. "Mas tu fazias serviço na ACAPO?", perguntei e não obtive resposta... O que foi uma chatice porque ele tinha duplo queixo e eu ia perguntar-lhe se aquilo era mesmo gordura ou era o local onde ele acondiciona a "língua maravilha" que fazia uns truques de génio (segundo o dono da língua), e se tinha chulo ou chula. Se calhar feri-lhe os sentimentos admito, mas ele feriu-me a paciência, que já de si é pouca.

Nem quem é bonito se sente sempre como tal, portanto não será seguramente fácil ser feio. Mas quer nos feios ou nos bonitos se a massa encefálica não funcionar, nada feito. Para quê inventar? Pelos visto ser bonito/a tornou-se mais importante que ser capaz de pensar e evitar fazer figuras parvas. Ninguém é a última bolacha do pacote. Superar o desespero é assim tão dificil? Mas, e porque há sempre um "mas", para os desesperados existe sempre uma injecção de auto-estima chamada BILF.

Como dizia o outro: mais vale parecer estúpido que abrir a boca e confirma-lo.

março 05, 2011

Momento espiritual

Também aqui neste animado bairro existe um espaço dedicado à espiritualidade! E só cá vem gente de fé, que sente no mais íntimo do seu ser cada momento da homilia. Gerson, vizinho do prédio ao lado sempre que chega o momento do donativo todo ele exala alegria e felicidade. Não acreditam? Ora vejam...



Na próxima semana vou perguntar que tóxico ele usa, porque aquilo bate bem...

março 03, 2011

março 02, 2011

Frases da treta tangada


Há tantas e tão bonitas que nem sei por onde começar...

- "Na cama somos todos do mesmo tamanho", vai sonhando sim? Frase típica de homem de baixa estatura cujo apêndice nasal se encaixa no sovaco da fêmea com quem ele pretende copular. A resposta mais adequada a esta frase deve ser algo do género "Ah... já entendi porque ainda dormes no berço".

- "Só pode ser gay", frase óbvia de fêmea ressabiada que não sabe aceitar um não. E normalmente elas difundem a sua palavra, qual Profeta das arábias, pelo grupo de amigas. Ou seja não comem nem deixam comer... O mesmo se aplica aos homens quando dizem "Deve ser lésbica". Vamos deixar dois pontos esclarecidos: a rejeição dói e ninguém é a última bolacha do pacote.

- "As mulheres só sabem complicar", pois... certo. Eu acreditava nisto até começar a falar, mas falar mesmo, com homens. Os homens, alguns é certo que mas tendem a ser a maioria, estão cada vez mais femininos. Excesso de telenovelas? Overdose de colo materno? Falta de calo da vida? Não sei... mas há cada prima-dona...

- "Sou um livro aberto, todos conhecem a minha vida!"... E? É o sujeito social com moral, bons costumes, ordeiro (ou não), simpático que tenta agradar a todos e tem uma boca que a dada altura da sua existência encarnou o espírito de puta (e tende a estar ais tempo que o habitual aberta). Ou seja todos conhecem a vida daquela pessoa de trás para a frente, mesmo que não quisessem! Porque a pessoa faz questão de se expor mesmo que ninguém lhe pergunte nada. És um livro aberto? Olha que bom para ti!

- "No meu tempo não havia nada destas poucas vergonhas!". Claro! Há uma série de filhos feitos nos palheiros, becos escuros, motéis, pensões rascas, sacristias que hoje em dia têm 50 e 60 anos porque antigamente havia respeito e dignidade. Ah... não me lixem! Já para não falar nas crianças prematuras que apesar dos cuidados médicos estarem menos avançados, sobreviveram todas e nasceram no mínimo com 2,8kg. Sei....

Se estiverem para aí virados adicionem frases feitas que vos causem... urticaria.

Esqueçam tudo o que viram e ouviram

Esta é a dança do momento, e esta é a música que não nos sai da cabeça infelizmente!